OITIVA

Adriana Branco depõe, nesta quinta (26/8), sobre ações de combate à pandemia

A secretária de Comunicação e ex-chefe de Gabinete é considerada peça chave para esclarecimento de medidas sanitárias adotadas pela PBH

quarta-feira, 25 Agosto, 2021 - 10:30
Fone de ouvido em frente a uma tela de computador
Foto: Karoline Barreto/CMBH

A secretária municipal de Assuntos Institucionais e Comunicação Social, Adriana Branco, deve prestar esclarecimentos à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 sobre a atuação do Município no combate à pandemia. Depoimento está previsto para esta quinta-feira (26/8), às 9h, no Plenário Helvécio Arantes. Ela respondia como chefe do Gabinete do Prefeito Alexandre Kalil (PSD), em março de 2020, quando a Prefeitura decretou estado de calamidade pública por causa da pandemia.

De acordo com o presidente da CPI, Juliano Lopes (Agir), autor do requerimento, o depoimento da ex-chefe de gabinete vai ajudar a esclarecer as medidas adotadas pela Prefeitura de Belo Horizonte no enfrentamento da crise sanitária. “Como ela ocupava o cargo de chefe de gabinete quando a calamidade pública foi reconhecida, Adriana é peça fundamental para elucidar os questionamentos dessa CPI, tendo em vista sua atuação direta nas medidas sanitárias adotadas no Município, como fica evidenciado pelas portarias por ela assinadas”, afirmou. Juliano disse ainda que aguarda com expectativa o depoimento da secretária, que deve explicar "os gastos exorbitantes no enfrentamento da pandemia e esclarecer o fechamento e abertura do comércio na cidade".

A CPI já questionou, entre outras coisas, o valor de mais de R$ 2,44 milhões pago pela PBH para a Multifarma Produtos Hospitalares pela aquisição de 630 mil máscaras de tecido em maio de 2020 - com um custo unitário de R$3,88; o custo de R$ 402,6 milhões com cestas básicas e kits de higiene pela PBH; e a doação de equipamentos e ventiladores pulmonares pelo empresário Mário Valadares, dono do Shopping Oiapoque, à Prefeitura.

Entre as autoridades ouvidas pela Comissão estão o secretários municipais de Saúde Jackson Machado;  de Educação, Angela Dalben; e de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania , Maíra Colares, além de Breno Serôa Motta, subsecretário de Administração e Logística, órgão ligado à Secretaria Municipal de Fazenda.

A CPI

A CPI da Covid-19 foi instalada na CMBH em maio de 2020, com o objetivo de fiscalizar a regularidade das contratações e gastos realizados pela Prefeitura durante o período de calamidade pública. A partir da data de formação, a Comissão tem prazo de 120 dias, prorrogável por mais 60 dias, para concluir os trabalhos e produzir relatório final.

Superintendência de Comunicação Institucional