MEIO AMBIENTE

Aprovada audiência sobre gestão de resíduos orgânicos em cenário de insegurança alimentar

Visita técnica a espaço de acolhimento de equídeos e pedido de informação sobre Pico do Cruzeiro também foram aprovados

terça-feira, 27 Julho, 2021 - 16:45
Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

A gestão de resíduos orgânicos em Belo Horizonte e seu papel como ferramenta de enfrentamento ao atual cenário de emergência climática e insegurança alimentar será tema de audiência pública no dia 21 de setembro. O debate foi aprovado pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana, nesta terça-feira (27/7), quando o colegiado também decidiu realizar visita técnica no dia 9 de agosto ao Espaço do Capitão Eduardo, destinado ao acolhimento de equídeos. Ainda, foi aprovado o envio de pedido de informação à Prefeitura sobre área verde na Região Leste que poderia se tornar um parque ecológico. Os vereadores também celebraram a inserção do termo “Defesa dos Animais” no nome da comissão. 

Resíduos orgânicos

A audiência pública sobre a gestão de resíduos orgânicos foi solicitada por Duda Salabert (PDT) e irá acontecer, de maneira remota, às 13h40 do dia 21 de setembro, no Plenário Helvécio Arantes. Na justificativa do requerimento, Duda explica que, em decorrência do aumento da população nos grandes centros e a grande produção de resíduos, a gestão dos resíduos sólidos urbanos (RSU) é um grande desafio a ser enfrentado pelo poder público municipal, tendo em vista que cerca de metade dos resíduos sólidos gerados nos grandes centros é de resíduos orgânicos. Ela cita dados relatório da Superintendência de Limpeza Urbana (2017-2019) que contabilizou o recolhimento de cerca de 2.800 toneladas de RSU diárias na capital mineira, e o custo do aterramento desse material em 2019: R$ 451.203.379,00.

A vereadora argumenta que, como a matéria orgânica compõe a maior parte dos resíduos orgânicos domésticos, são necessárias ações que dêem a ela um tratamento adequado. Duda condena o envio destes resíduos aos aterros sanitários, em razão dos custos operacionais gerados. “Olhar para os resíduos sólidos orgânicos como um ‘recurso’ precioso, convertendo-o em adubo e/ou energia, é uma importante ferramenta a ser empregada no combate a diversos desafios em Belo Horizonte”, defende. Entre os benefícios desta proposta, Duda Salabert cita a geração de empregos e renda e contribuição aos Centros de Vivência Agroecológica (Cevaes), que necessitam de composto orgânico e matéria-seca. 

Acolhimento de equídeos 

A estrutura do Espaço do Capitão Eduardo (a partir do Sítio do Boroni, em área rural), destinado ao acolhimento de equídeos, será conhecida no dia 9 de agosto, às 9h, por solicitação de Wanderley Porto (Patri). O vereador explicou que Belo Horizonte tem um grande número de abandono de equídeos em vias. “Hoje mesmo houve um atropelamento fatal perto da cidade administrativa”, comentou, contando que o espaço tem a função de abrigar os animais. “Iremos conhecer de perto esse espaço que vai ser importante para evitar acidentes”, concluiu.  

Pico do Cruzeiro

A área que faz confronto com as Ruas T, Mirante, Fernão Dias e Antônio Rodrigues da Costa, na Região Leste, é tema de pedido de informação de Rubão (PP) para a Prefeitura de Belo Horizonte. O pedido justifica que os moradores da região, especificamente os Bairros Boa Vista, Nova Vista, Mariano de Abreu, Casa Branca e adjacências, têm interesse que a região denominada  Pico do Cruzeiro se torne um parque ecológico, proporcionando qualidade de vida aos cidadãos. Com a intenção de avaliar a elaboração de uma política pública para a região, o vereador questiona qual a dimensão da área pública e se existe politica pública de ocupação e/ou parcelamento já aprovada para área. 

Mudança de nome

Ao final da reunião, os vereadores Marcos Crispim (PSC) e Juliano Lopes (Agir) parabenizaram a mudança de nome da Comissão de Meio Ambiente, Defesa dos Animais e Política Urbana, que antes se chamava Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana. “Parabéns ao Wanderley Porto pela conquista, é muito importante ter a defesa dos animais incluída no nome desta comissão”, afirmou Lopes.

Estiveram presentes os seguintes membros efetivos da comissão: Professor Juliano Lopes (Agir), Marcos Crispim (PSC), Ciro Pereira (PTB) e Wanderley Porto (Patri), todos eles de maneira remota.  

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional