AUDIÊNCIA PÚBLICA

Criação de protocolo para eventos de pequeno porte em debate na quarta

Parado há mais de um ano, setor não teve benefícios durante a flexibilização e também não conta com auxílio do poder público

segunda-feira, 31 Maio, 2021 - 10:15
imagem mostra evento externo com cadeiras vazias
Foto: Pexels

Um setor que gera mais de 2 milhões de empregos diretos e indiretos e possui mais de 60 mil empresas ligadas ao ramo. Assim é o setor de eventos em Minas Gerais, e que foi fortemente impactado devido às restrições sanitárias impostas pela pandemia da covid-19. Pauta trazida à Casa por mais de um vereador, a criação de um protocolo específico para eventos sociais de pequeno porte será tema de audiência pública na quarta-feira (2/6), às 13h, no Plenário Helvécio Arantes. Requerido pelos vereadores Professor Juliano Lopes (PTC) e Léo (PSL), o encontro será realizado pela Comissão de Saúde e Saneamento e tem o objetivo ouvir representantes da Prefeitura de BH e também de dirigentes ligados ao setor de eventos.  Vereadores e convidados participam da reunião por videoconferência e a população também pode participar do debate enviando perguntas, comentários e sugestões por meio de formulário eletrônico já disponível no Portal CMBH.

A expectativa é de que desta vez o Executivo Municipal envie representantes ao encontro, uma vez que em audiência pública realizada anteriormente com a mesma finalidade, a PBH, embora convidada, não enviou representantes.

Segundo Professor Juliano Lopes, a realização do debate é importante uma vez que na flexibilização realizada pela Prefeitura o segmento de eventos não foi contemplado. “O segmento de eventos está sem nenhum tipo de funcionamento e nenhum auxílio do poder público municipal, há mais de um ano”, justificou em sua solicitação.

Setor segue impactado

Desde março de 2020, a Prefeitura publicou ao menos 15 decretos que flexibilizaram ou restringiram as atividades comerciais e culturais na cidade. Tais medidas mudaram os rumos dos negócios e atingiram em cheio o setor que, segundo dados da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), representa 4,32% do PIB e gera cerca de dois milhões de empregos diretos e indiretos. 

Além de representantes das Secretarias Municipais de Saúde; Planejamento, Orçamento e Gestão; Política Urbana; e Desenvolvimento Econômico, também foram convidados representantes de diversas entidades ligadas ao setor de eventos e negócios.

Superintendência de Comunicação Institucional