AUDIÊNCIA PÚBLICA

Alta de casos de covid-19 em BH será debatida na quarta (6/7)

Sindibel e Comitê Popular afirmam que há aumento de transmissão e precariedade no atendimento nos equipamentos de saúde

sexta-feira, 1 Julho, 2022 - 08:30
Foto: Rodrigo Clemente/PBH

Debater o enfrentamento à covid-19 diante da crise de atendimento nos equipamentos de saúde do Município e o recrudescimento de casos da doença em BH. Este é o objetivo da audiência pública que será realizada pela Comissão de Saúde e Saneamento na próxima quarta-feira (6/7), às 13h, no Plenário Helvécio Arantes. O evento, solicitado por Bella Gonçalves (Psol), Iza Lourença (Psol) e Pedro Patrus (PT), tem como base informações sobre aumento de 286% nos casos de síndromes gripais registradas nos equipamentos de saúde da cidade e dificuldades no atendimento da população. O cidadão pode acompanhar a audiência pelo Portal da CMBH e ainda participar, enviando sugestões e perguntas, por meio de formulário já disponível.

Em reportagem publicada na imprensa local, representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel) informaram que entre os dias 30 de maio e 3 de junho, os casos de síndromes gripais atendidos nos centros de saúde e nas unidades de pronto atendimento da cidade quase triplicaram e que os moradores estão encontrando equipamento desfalcados, longas filas e demora no atendimento. Segundo boletim do Comitê Popular de Enfrentamento à Covid-19, há uma tendência de aumento no número de casos com taxa de transmissão de 1,5, indicando que 100 pessoas podem transmitir a doença para outros 150. O estudo aponta ainda que até o dia 21 de junho, apenas 9% da população de BH já havia recebido a 2ª dose de reforço, ou a 4ª dose da vacina, já disponível na cidade para maiores de 40 anos.

Os vereadores ressaltaram, no requerimento que solicita a audiência, que foi encaminhada indicação à PBH pela Comissão de Saúde da Câmara recomendando o retorno do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19, com publicação de boletim epidemiológico com divulgação diária de informações como o número de pessoas atendidas, ocupação de leitos, taxa de transmissão do vírus e recorte de dados de classe, gênero, e de raça/cor para melhor atender a demanda da população.

Foram convidados para participar do debate Cláudia Navarro, secretária Municipal de Saúde; Josué Valadão, secretário Municipal de Governo; Nélio Costa, coordenador da 19ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde de BH; Jean Carlos dos Santos, gerente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde; Carla Anunciatta, presidente do Conselho Municipal de Saúde; Bruno Pedralva, integrante do Sindibel; Delza Lima, do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Minas Gerais; e representantes do Comitê Popular de Enfrentamento à Covid-19 e da Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia.

Superintendência de Comunicação Institucional