ACIDENTES DE TRÂNSITO

Campanha chama atenção para o alto índice de mortes e feridos no trânsito

Mês tem ações educativas em todo o mundo desde 2011. Câmara atua nesse sentido e tem sua fachada iluminada de amarelo

segunda-feira, 16 Maio, 2022 - 13:45
Foto: Cláudio Rabelo/CMBH

Despertar a atenção da sociedade para o alto índice de acidentes e mortes no trânsito. Este é o objetivo da Campanha Maio Amarelo, que também quer conscientizar o cidadão sobre a importância da segurança viária e alertar motoristas sobre a responsabilidade ao volante. Na Câmara Municipal, além de uma comissão permanente sobre o assunto, o tema tem ocupado cada vez mais espaço na agenda dos parlamentares, que no último ano realizaram diversas vistorias em ruas da cidade para verificar as condições de trânsito e de tráfego. Para marcar a data, a Casa iluminou sua fachada na cor da proposta para lembrar à cidade sobre a importância do tema; o pedido foi feito por Wilsinho da Tabu (PP).

Números no país e em BH

O alerta proposto pela campanha faz sentido. Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostram que o número de acidentes nas rodovias tem se mantido constante no país nos últimos anos. Em 2020, foram registrados 63.578 acidentes nas rodovias federais, resultando em 71.511 pessoas feridas e 5.293 mortas. Em 2021, foram 64.518 acidentes, com 71.804 pessoas feridas e 5.393 mortas.

Belo Horizonte, também apresenta altos índices de acidente, porém os números têm caído na última década. Estudo da Prefeitura, mantido pela BHTrans, sobre acidentes de trânsito com vítima na cidade, mostra que em 2010, quando a cidade tinha uma frota de 1.332.381 veículos, foram registrados 16.822, com 20.875 vítimas não fatais e 262 fatais. Já em 2019, a cidade contabilizava 2.233.446 veículos e foram registrados 13.342 acidentes, com 17.063 vítimas, sendo 15.765 não fatais e 105 fatais.

O desafio para a redução dos acidentes no trânsito também é tratado de perto pelos parlamentares que, além de diversas técnicas realizadas para averiguar as condições de tráfego e de sinalização em ruas da cidade, fizeram, em 2021, ao menos duas indicações ao Executivo Municipal ligadas ao tema. Em maio, Nikolas Ferreira (PL) sugeriu à Prefeitura que fossem implantadas faixas de pedestres elevadas em frente as escolas da rede municipal de educação; já a Comissão Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, em dezembro, recomendou ao prefeito que fosse feita a manutenção e revitalização da sinalização horizontal no trânsito do Hipercentro da capital.  

Movimento e década de ação

O Maio Amarelo é uma iniciativa que nasceu em 2011 e hoje reúne apoio de 27 países, 423 cidades e 1425 empresas. O objetivo do movimento é promover uma ação coordenada entre o poder público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos: órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para, discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige, nas mais diferentes esferas.

A Assembleia-Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. O documento foi elaborado com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

Ainda de acordo com dados da entidade, os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país.

Superintendência de Comunicação Institucional