REFORMULAÇÃO BHTRANS

Agendados debates sobre soluções de mobilidade e integração do transporte na RMBH

Também foram aprovados pedidos de informação sobre permissões de táxi e aplicativo de transporte público

quinta-feira, 11 Março, 2021 - 19:15
Foto: Bernardo Dias/CMBH

Soluções de mobilidade urbana baseadas em modelos brasileiros e mundiais serão debatidas no dia 17 de março, às 9h. Já no dia 24 de março, também, às 9h, será discutida a integração do transporte municipal de Belo Horizonte com a estrutura de mobilidade da região metropolitana, assim como o planejamento realizado pela Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte envolvendo a capital. As duas audiências públicas foram agendadas pela Comissão Especial de Estudo - Reformulação da BHTrans, em reunião na última quinta-feira (10/3). No encontro, os vereadores também aprovaram pedido de informação sobre medidas que a BHTrans vai tomar em relação às permissões de táxi devolvidas, excluídas e que estão na reserva sem exercer a atividade. Ainda, será encaminhada ao Executivo solicitação de dados sobre o protótipo do aplicativo de transporte público coletivo urbano apresentado em audiência pública.

Segundo Marcela Trópia (Novo), que solicitou a audiência do dia 24, a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Agência RMBH), em parceria com a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade do Estado de Minas Gerais (Seinfra), está à frente do Plano de Mobilidade da RMBH e seus desdobramentos. “O plano consiste em produzir estudos para definição de políticas e de uma carteira de projetos e ações para melhoria das condições de mobilidade urbana na RMBH e sua sustentabilidade”, explicou a vereadora. Ela convidou para o debate representantes da Agência RMBH; Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais; e Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade do Estado de Minas Gerais.

Já a audiência sobre soluções de mobilidade urbana, a ser realizada no dia 17 a pedido de Gabriel (Patri), tem como convidados os representantes do Blog Caos Planejado, Anthony Ling e Marcos Paulo Schlickmann.

Aplicativo e táxis

“Se colocar na sala um bando de empreendedores do tema, a gente tira isso de letra em um mês ou dois, só que é uma novela”, explicou (Gabriel Patri), ao defender o pedido de informação sobre protótipo do aplicativo de transporte público coletivo urbano apresentado na última audiência pública da comissão. Marcela Trópia achou “genial” a ideia de juntar os empreendedores, sugerindo incluir membros de aplicativos que já trabalham com mobilidade, como Uber, Rappi e outros.

Na justificativa do pedido de informações sobre o protótipo do aplicativo de transporte público coletivo urbano, Gabriel informou que o diretor-presidente da BHTrans afirmou que o aplicativo será um canal para comunicação instantânea entre o usuário e a empresa, responsável por fiscalizar a condição do transporte público, possibilitando, entre outras medidas, a realização de flagrante das irregularidades contratuais cometidas e a aplicação das sanções cabíveis. A empresa também teria informado que já foi realizado o primeiro teste do aplicativo com um grupo de cerca de 40 pessoas, obtendo resultado favorável, e abrindo a possibilidade de expansão da área e do número de usuários. Gabriel solicitou as seguintes informações: empresa responsável pelo desenvolvimento e manutenção do aplicativo; instrumento que permitiu esse desenvolvimento; área onde foi realizado o primeiro teste; próximas etapas previstas; estimativa do lançamento; e se o modelo testado é utilizado em algum outro centro urbano no mundo.

O outro pedido de informação aprovado, proposto por Marcela Trópia, veio a partir de questionamento enviado por um cidadão, referente às permissões de táxi, durante audiência da comissão em que se debateu os rumos da BHTrans. A vereadora deseja saber, da Secretaria Municipal de Governo, qual medida a BHTrans vai tomar em relação às permissões de táxi devolvidas, excluídas e que estão na reserva sem exercer a atividade, já que muitos motoristas, segundo ela, são somente permissionários e não a exercem. Por outro lado, visto que os auxiliares querem ter o direito a ter suas outorgas, ela questiona por que não convocá-los para emplacar seus carros.

Participaram da reunião Gabriel, Iza Lourença (Psol), Marcela Trópia, Reinaldo Gomes Preto Sacolão (MDB) e Wesley (Pros), todos de forma remota.

Assista ao vídeo da reunião na íntegra.

Superintendência de Comunicação Institucional