SETEMBRO AMARELO

Suicídio em tempos de pandemia é tema de live nesta segunda-feira (21/9)

Seção Social da Câmara de BH realiza bate-papo no YouTube, às 16h, com a participação de psicólogas

domingo, 20 Setembro, 2020 - 18:15
Imagem: Divulgação CMBH

Na medida em que o país e o mundo começam a debelar o crescimento exponencial do número de mortos e infectados pela Covid-19 descortina-se a questão da saúde mental. O medo da morte, a perda de familiares e pessoas próximas, o isolamento social, as dificuldades financeiras e o próprio viver em estado pandêmico impactam a todas as pessoas. Algumas, mais vulneráveis, são atingidas com maior intensidade, seja porque mais propensas aos efeitos decorrentes do aprofundamento das desigualdades sociais, seja em razão do estado anterior de saúde mental já fragilizado. Esse contexto constitui um importante fator de risco para o suicídio, tema da live promovida pela Câmara de BH, por meio da Seção Social (Secsoc), nesta segunda-feira (21/9), às 16h, no canal da Escola do Legislativo da CMBH no YouTube, como parte da programação do Setembro Amarelo. A conversa será com a psicóloga Kênia Daniele Nepomuceno, especialista em terapia sistêmica, com a mediação da psicóloga da Câmara de BH Suzane Sousa, especialista em terapia cognitivo-comportamental. Todos podem participar enviando perguntas pelo chat durante a transmissão.

“Todos temos algum familiar ou amigo que lutou ou luta contra pensamentos de autoextermínio, e os índices de suicídio são cada vez mais preocupantes. Por isso, nós preparamos um bate-papo especial sobre o assunto”, explica a chefe da Secsoc, Edilene Moura Gomes. Na conversa, as psicólogas vão abordar os possíveis efeitos da pandemia na saúde mental e nos índices de suicídio, a importância de valorizar emoções e suas expressões em tempos de distanciamento e formas de prevenção de adoecimentos. “Será uma oportunidade para refletirmos e aprendermos juntos sobre como ajudar alguém ou a nós mesmos”, acrescenta Edilene.

Um recente artigo publicado no Lancet Psychiatry (conceituada revista científica) discute a situação da atual pandemia de Covid-19 e, dentro de suas consequências, especula sobre um possível aumento nos índices de suicídio. Quanto mais a doença se espalha, mais efeitos de longo prazo podem ser sentidos em diversas áreas da vida, gerando um maior impacto sobre populações consideradas como vulneráveis e, portanto, podendo afetar os índices de comportamento suicida. Por isso, é necessário pensar em medidas de prevenção ao suicídio. Estratégias que envolvem amigos, familiares e a comunidade podem ajudar. Devem ser pensadas medidas que auxiliem aqueles que vivem só, solicitando a participação da comunidade. Já os familiares e amigos podem entrar em contato com certa frequência para verificar como essas pessoas estão. Os serviços de saúde mental e seus profissionais devem garantir ajuda aos pacientes que estão passando por um momento de luto. Enquanto isso, os governos deveriam implementar medidas de intervenção e investimento nessa área.

Superintendência de Comunicação Institucional