SAÚDE PÚBLICA

Infestação de escorpiões na sede da Regional Venda Nova preocupa servidores

Comissão de Saúde ouviu denúncias e irá enviar ofício à Prefeitura de Belo Horizonte cobrando providências

quarta-feira, 13 Junho, 2018 - 19:15
Foto: Abraão Bruck / CMBH

Denúncias de infestação de escorpiões na sede da Administração Regional Venda Nova, na Avenida Padre Pedro Pinto, foram relatadas à Câmara Municipal e à Prefeitura em audiência pública da Comissão de Saúde e Saneamento nesta quarta-feira (13/6). Funcionários que trabalham no local atestaram que diversos escorpiões vêm sendo encontrados por lá, causando apreensão. A Prefeitura informou que realizou palestra com orientações a funcionários, vistoriou o local e elabora um relatório com as informações obtidas. A comissão irá votar, em sua próxima reunião ordinária, no dia 20 de junho, o envio de um ofício à PBH relatando o problema, de modo que o Executivo informe aos vereadores, por escrito, as medidas que estão sendo adotadas.

Uma das funcionárias da Administração Regional Venda Nova relatou ter encontrado um escorpião em sua caneca, no momento em que ia se servir de água no local de trabalho. Esse não teria sido um caso isolado. De acordo com os trabalhadores, é recorrente a presença de escorpiões, o que coloca em risco não apenas funcionários, como também cidadãos que se dirigem à Regional em busca de atendimento da Prefeitura, inclusive crianças. A funcionária também relatou que tira dinheiro do próprio bolso para comprar fitas isolantes e proteger seu espaço de trabalho de possíveis esconderijos de escorpiões.

O vereador Claudio Duarte (PSL), que conduziu a audiência, afirmou que “é de se espantar” a infestação de escorpiões em uma repartição pública, uma vez que, de acordo com ele, a Prefeitura, a quem compete fazer o controle de animais peçonhentos, deveria dar o exemplo em seus imóveis.

O vereador Catatau (PHS) elogiou a postura de moradores e trabalhadores da região de Venda Nova em denunciar a presença do animal peçonhento. Para o parlamentar, é por meio do atendimento às reinvindicações do povo que se faz uma cidade mais saudável. Ele também colocou a Comissão de Saúde e Saneamento à disposição para auxiliar na solução dos problemas relatados.

Não há epidemia

Segundo a PBH, nenhum indicador demonstra epidemia de escorpiões, nem mesmo aumento de acidentes com o animal, neste ano, na capital mineira. Além disso, Venda Nova se mantém, segundo o Executivo Municipal, em 5º lugar entre as nove regionais de Belo Horizonte no que tange à presença de escorpiões.

A respeito das medidas em relação ao prédio da Administração Regional Venda Nova, a Prefeitura informou que foi realizada palestra educativa destinada aos funcionários com o objetivo de apresentar-lhes as principais medidas a serem tomadas para o controle da população de escorpiões. Entre as medidas que devem ser adotadas estão a vedação de soleiras de portas e de aberturas dos ralos, pias ou tanques, bem como a instalação de telas nas janelas. Também foi realizada vistoria do ambiente. As informações colhidas darão origem a um relatório. Além disso, a PBH se dispôs a realizar palestras nas escolas da região orientando alunos quanto às medidas a serem tomadas para controlar a população de escorpiões.

A PBH também alertou para situações em que as pessoas devem ficar mais atentas contra escorpiões como quando ocorrem mudanças na disposição de móveis, limpezas com água e dedetizações. Todas essas ações podem desalojar os escorpiões, aumentando os riscos de acidente.

Medidas preventivas

O chefe do Serviço de Animais Peçonhentos da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Rômulo Antônio Righi de Toledo, alertou que Belo Horizonte é uma região de escorpiões, os quais já habitavam a área antes da construção da cidade. Ele explica que o animal é muito resistente e de fácil reprodução, gerando, em média, duas crias por ano. Típico de locais frios e escuros, ele se adapta facilmente às condições urbanas, por isso, medidas de controle populacional devem ser adotadas.

Rômulo Antônio Righi explicou que é importante dotar os espaços de barreiras físicas contra os escorpiões como telas nas janelas, tampas nos ralos e borrachas de vedação nas portas. Outra medida importante é evitar que alimentos fiquem dispostos de modo a atrair baratas e outros insetos, uma vez que essas são as fontes alimentares dos escorpiões. Ainda de acordo com o especialista, o controle químico contra escorpiões não é recomendado, uma vez que tal medida pode desalojar o animal, fazendo com que ele busque abrigos próximos aos seres humanos, no interior de residências, aumentando, assim, o potencial de acidentes.

Atendimento à população

A Prefeitura informou que quem achar escorpiões deve ligar para a Central de Atendimento Telefônico 156, da PBH, ou entrar em contato diretamente com os serviços de controle de zoonoses. Também é possível buscar atendimento por meio do Serviço Informatizado de Atendimento ao Cidadão (Sacweb) neste link. É possível, ainda, buscar o apoio das equipes de zoonoses dos centros de saúde. O cidadão pode também buscar atendimento presencial em uma das centrais de atendimento da PBH. Mais informações de contato aqui.

Superintendência de Comunicação Institucional

 

Audiência pública para discutir ações de combate aos escorpiões na cidade de Belo Horizonte - 18ª Reunião Ordinária - Comissão de Saúde e Saneamento