ABANDONO E LIXO

Comunidade pede limpeza, capina e conclusão de obras na Vila São José

Requerente da visita técnica, Rafael Martins (PMDB) vai solicitar providências imediatas à PBH e indicar a criação de um parque ecológico

quarta-feira, 22 Março, 2017 - 20:15
Foto: Abraão Bruck/CMBH

Após percorrer vias e terrenos da Vila São José, na tarde desta quarta-feira (22/3), com a finalidade de averiguar denúncias da comunidade, a Comissão de Saúde e Saneamento constatou a presença de mato, lixo e entulho em avenidas e espaços públicos, inclusive ao lado do centro de saúde, além de obras inacabadas e não realizadas. Acompanhados pela secretária e gerentes da Administração Regional Pampulha, lideranças comunitárias e moradores, os vereadores consideraram a situação como uma ameaça à saúde pública e irão solicitar à PBH a capina e limpeza imediata desses locais, além da preservação de uma área verde que se encontra abandonada.

A presença de lixo, entulho, restos de alimentos e outros resíduos acumulados em vias e terrenos localizados na Avenida João XXIII e adjacências, próximo ao novo Centro de Saúde da Vila São José, foi constatada pela comitiva durante caminhada pelo local, alvo de denúncias de usuários do equipamento e moradores da vizinhança. De acordo com as informações, as más condições sanitárias estariam causando, além de mau cheiro, a proliferação de ratos, escorpiões, baratas e mosquitos transmissores de doenças. Além disso, os moradores se queixaram da insegurança, já que o mato alto nos terrenos estaria servindo de refúgio para criminosos e usuários de drogas.

Os vereadores verificaram que diversos terrenos vagos na região foram transformados em locais de bota-fora e descarte irregular de lixo. Para a área, estava prevista a implantação de uma Unidade Municipal de Educação Infantil (UMEI), uma unidade do Sersam/AD - cuja obra está 90% concluída -, uma praça e uma via de acesso para os moradores do conjunto habitacional construído no âmbito do Programa Vila Viva. Áreas adjacentes ao conjunto que seriam destinadas à convivência e ao lazer estão cobertas de mato e com bancos quebrados, impedindo sua utilização pelas famílias. De acordo com a nova titular da Secretaria de Administração Regional Pampulha, Neusa Fonseca, as intervenções integram projeto do PAC e se encontram paralisadas por falta de repasse dos recursos federais.

Área de preservação

Também nas proximidades do centro de saúde, no final da avenida, a comissão constatou a existência de um amplo terreno, previsto para abrigar uma Estação BHBus, que hoje está abandonado e cheio de lixo. Morador do bairro há 30 anos e autor do requerimento da visita técnica, o vereador Rafael Martins (PMDB) informou tratar-se de uma área de preservação ambiental, onde existem nascentes e uma lagoa habitada por peixes, além de uma extensa área verde. Lideranças comunitárias que acompanharam a visita se queixaram do abandono e da insegurança do local, que poderia ser usado também como área de lazer e convívio para crianças, jovens e idosos, sugerindo inclusive a implantação de uma academia a céu aberto.

Os vereadores Cláudio da Drogaria Duarte (PMN) e Hélio da Farmácia (PHS), que integram a Comissão de Saúde e Saneamento, consideraram grave e urgente a situação do bairro, que para eles configura uma ameaça à saúde dos moradores e usuários dos equipamentos locais. Defendendo a máxima urgência na tomada de providências pelo poder público, Cláudio garantiu que o prefeito já manifestou preocupação com os problemas denunciados e que a comissão encaminhará todas as soluções necessárias o mais breve possível.

Encaminhamentos

Elogiada pelos moradores que participaram da visita, a secretária Neusa Fonseca afirmou que a nova Administração Regional vem realizando, desde o início do ano, o levantamento e registro de todas as demandas da comunidade e declarou que as ações de limpeza e capina estão entre as prioridades da gestão; com relação às obras não feitas e não concluídas, ela informou que sua continuidade depende da liberação de recursos federais. Reconhecendo a legitimidade da demanda e apontando os transtornos que a estação de ônibus poderia trazer à vizinhança, a secretária reforçou a solicitação de que o espaço a ela destinado seja transformada em um parque ecológico e de lazer para as comunidades do entorno.

Rafael Martins declarou-se otimista com a postura da nova administração e a maior aproximação entre a prefeitura e a população, confiando que as solicitações encaminhadas pela Comissão de Saúde serão devidamente consideradas. Presidente da Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara, o parlamentar comprometeu-se a encaminhar uma indicação ao Executivo solicitando a realização de estudos para a implantação do parque.

Superintendência de Comunicação Institucional

[flickr-photoset:id=72157679765643441,size=s]