CPI COVID-19

Acareação entre secretário de Saúde e dono do Shopping Oi está agendada

Doações à PBH estarão no foco da CPI. Além disso, representantes da secretaria de Educação prestarão informações sobre atuação da pasta

sexta-feira, 29 Outubro, 2021 - 18:00
microfone em evidência
Foto: Karoline Barreto/CMBH

Faltando cerca de quinze dias para terminar o prazo para entrega de seu relatório final, a CPI da Covid-19 pretende ouvir, na próxima semana, representantes da Prefeitura e, ainda, promover uma acareação entre o secretário de Saúde e o proprietário do Shopping Oiapoque. Na quarta-feira (3/11), estão marcadas as oitivas da secretária municipal de Educação, Angela Dalben, e da subsecretária de Planejamento, Gestão e Finanças da Educação, Natália Araújo, que deverão esclarecer as ações da pasta no combate à pandemia. Na mesma data, está previsto o depoimento da coordenadora de Engenharia Clínica, Débora Morgado, sobre a sua atuação na doação de oito ventiladores pulmonares pelo Shopping Oiapoque à Prefeitura de Belo Horizonte. Já na quinta-feira (4/11), ocorrerá acareação entre o secretário Municipal da Saúde, Jackson Machado, e o proprietário do Shopping Oiapoque, Mário Valadares, com o objetivo de se esclarecer divergências entre depoimentos prestados à CPI no tocante à doação realizada pelo shopping à Prefeitura. Além disso, é esperado que o secretário apresente informações sobre os gastos da PBH durante a pandemia.

Falta de respostas
A secretária Angela Dalben e a subsecretária Nathalia Araújo vão prestar esclarecimentos à CPI, na próxima quarta-feira, às 9h e às 9h30, respectivamente, no Plenário Helvécio Arantes. No requerimento, Flávia Borja (Avante), José Ferreira (PP) e Nikolas Ferreira (PRTB) explicam que não houve retorno de questionamentos - feitos por meio de requerimentos de comissão - sobre as  ações da PBH no enfrentamento à pandemia da covid-19 no Município e, portanto, a presença de ambas se faz necessária.  
Às 10h será a vez de a coordenadora de Engenharia Clínica na Gerência de Contratação de Serviços Gerais e de Engenharia, Débora Morgado, prestar seu depoimento, a pedido de Irlan Melo (PSD), que é o relator da CPI. A comissão quer entender qual a atuação da técnica - responsável por realizar o relatório descritivo que apontou que tipo de material a rede municipal de saúde tinha necessidade à época -  na doação de oito ventiladores pulmonares pelo Shopping Oiapoque à Prefeitura de Belo Horizonte.

Doação à PBH
A pedido de Flávia Borja e Fernanda Altoé (Novo), o secretário de Saúde Jackson Machado volta à CPI na quinta-feira (4/11). Entre outros assuntos, ele deve explicar sobre como foram gastos os mais de R$ 314 milhões enviados ao município pelo governo federal para enfrentamento da pandemia. Ele também será questionado sobre os repasses dos recursos federais para os hospitais da Fhemig na capital; a compra de respiradores; a doação de equipamentos de saúde ao Município; e deverá esclarecer de quem é a responsabilidade pelo pagamento dos leitos do SUS em BH: Município ou Estado. 
Ainda na quinta-feira, o secretário vai participar de uma acareação com o proprietário do Shopping Oiapoque, Mário Valadares, para esclarecer as divergências nos depoimentos prestados à CPI sobre a doação realizada pelo Shopping Oiapoque à Prefeitura de Belo Horizonte. O requerimento foi assinado por Nikolas Ferreira e Flavia Borja. 

Superintendência de Comunicação Institucional