RISCO DE ACIDENTES

Com medo de atropelamentos, comunidade quer mão única em rua do Padre Eustáquio

Grande fluxo de veículos dificulta a circulação de pedestres, e apresenta risco principalmente às crianças que estudam no entorno

terça-feira, 21 Novembro, 2017 - 15:45
Foto: Rafa Aguiar / CMBH

O grande fluxo de veículos e o desrespeito às sinalizações existentes nas ruas no Bairro Padre Eustáquio têm causado vários acidentes de trânsito, o que preocupa quem trafega na área.  A situação é mais grave na Rua Humaitá, próximo a Av. Tereza Cristina. A pedido dos moradores, a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transportes e Sistema Viário realizou visita técnica ao local na manhã desta terça-feira (21/11). O requerente da atividade, vereador Carlos Henrique (PMN), garantiu que um estudo técnico já está sendo realizado pela BHTrans e que, até o mês de dezembro, devem acontecer mudanças na circulação da via, que passa a ter mão única. 

O problema na via afeta especialmente o trecho compreendido entre as Ruas Villa Rica e Nossa Senhora de Fátima. Morador do bairro, Marçal Ramos conta que o grande fluxo de veículos contribui para a ocorrência de vários acidentes no local, ameaçando constantemente a segurança de alunos das escolas do entorno, bem como de usuários e trabalhadores do centro de saúde situado nas imediações.

Supervisora pedagógica da Escola Estadual Pedro Dutra, Cristiane Zica defende a mudança de circulação da via para mão única. “Além de transitarem em alta velocidade, os motoristas estacionam seus veículos dos dois lados da via, colocando as crianças em risco de atropelamentos, como ocorrido com uma aluna há alguns meses”, denunciou.

Ainda de acordo com a comunidade, a existência de sinalizações verticais e horizontais na via não é suficiente para coibir os riscos de acidentes, uma vez que falta respeito por parte dos motoristas.

Encaminhamento

Carlos Henrique garantiu aos moradores que já havia acionado a PBH, acerca da demanda da comunidade, e que um estudo técnico já está sendo realizado pela BHTrans, que se comprometeu, até o mês de dezembro, a alterar o sentido de circulação da via para mão única.

“Esta intervenção é de extrema importância, já que na via existem escolas infantis e centro de saúde, o que contribui para que o fluxo de veículos seja intenso todos os dias da semana, colocando a segurança dos moradores em risco”, pontuou o parlamentar.

Superintendência de Comunicação Institucional

[flickr-photoset:id=72157666622416489,size=s]